top of page
  • sitetecnoshowcomig

Cada vez mais perto do produtor, ESG é um termo que já faz parte do agro

Advogada Samanta Pineda ressalta que é fundamental que produtores tenham conhecimento sobre a sigla, que significa meio ambiente, social e governança e define práticas de empresas sustentáveis





ESG é a sigla para as palavras em inglês Environmental, Social e Governance, que significam meio ambiente, social e governança. Mas juntas elas se tornaram um conjunto de padrões e boas práticas que definem se uma empresa é sustentável, socialmente consciente e corretamente gerenciada. Esse tema está cada vez mais perto dos produtores e isso é irreversível de aplicação no setor, nas palavras da advogada especialista em Direito Socioambiental, Samanta Pineda. “Quem não entrar e se encaixar está fora”, diz.


Pineda fez palestra na manhã desta terça-feira, 28 de março, no auditório 2 da Tecnoshow Comigo. Com o tema “A importância do ESG para o Agro”, ela destacou que as siglas definem métricas para acompanhar e valorizar as organizações que adotam práticas sustentáveis. “É fundamental que todos os produtores conheçam a sigla e saibam como devem atuar para atender às exigências. Sustentabilidade é o novo mote da discussão e isso tem um lado muito positivo. Nosso agro já atende à maioria das exigências ou sabe atender, precisa só colocar em prática.”


Samanta Pineda destacou as tendências globais para a agenda de mudança de clima e listou que, mundialmente, os países e empresas vêm assumindo o compromisso com a neutralidade de emissões em 2050, de expandir o uso de energias renováveis e buscar novos produtos e fontes energéticas de baixo carbono e aumentar a eletrificação de frotas de veículos, por exemplo. “Já fazemos tudo isso e temos capacidade de fazer mais.”


Quando ela diz que o Brasil já atende a alguns critérios, ela exemplifica. No caso do E, que significa meio ambiente, os produtores brasileiros já mantêm áreas de vegetação nativa em suas propriedades, realizam rotação de culturas, escolha do que se plantar a depender do local ou do clima, usam bioinsumos e biocombustíveis. No caso do Social, a especialista cita que o agro mantinha no Brasil, em 2020, 20,1% do mercado de trabalho, além de aumentar o número de mulheres no mercado em 38%, sendo 59% delas em cargos de liderança. “O agro é promotor de bem-estar social e de desenvolvimento.”






Quando o assunto é Gestão, a advogada diz que o maior desafio do agro brasileiro é identificar e criar seus planos para fazer a administração dos negócios dentro do que preconiza o ESG. “É preciso ser transparente. Não tem jeitinho, é como dizem: papo reto. As empresas do agro, sejam as maiores ou as pequenas propriedades, precisam estabelecer um plano para atendimento destes critérios e seguir. E isso é irreversível. O crescimento não vai mais ocorrer a qualquer custo.”


Samanta Pineda se lembra que, no passado, para uma empresa era interessante apenas se desse lucro. “Agora não é só isso. Claro que ela precisa dar lucro, porque empresas servem para isso. Mas precisa levar em conta transparência, compliance, aspectos morais. Os produtores precisam entender o que é para colocar em prática para crescer da maneira certa.”


Ela comentou que o contexto mundial não é favorável e que especialistas não preveem um bom futuro econômico. Assumir essas práticas, então, passam a ser mais do que necessárias. Elas são fundamentais porque até mesmo para a concessão de crédito, esses critérios são analisados. Caso a empresa seja bem avaliada em todos eles, é como se significasse que ela oferece maior segurança para a sociedade, seus funcionários e para o meio ambiente. Desta forma, mais segura para o investimento de capital por parte dos investidores.


Palestrante

Samanta Pineda é advogada especialista em Direito Socioambiental pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) e habilitada como Coordenadora de Gestão Ambiental pela Deutsche Gesellschaft für Qualität, DGQ da Alemanha. Ela também é consultora jurídica da Frente Parlamentar da Agropecuária e professora convidada da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper). Pineda também é professora na Fundação Escola Superior do Ministério Público do Rio Grande do Sul e no Instituto Brasileiro do Agronegócio da Faculdade CNA de Brasília.


Por seus conhecimentos, a nova diretora é requisitada em todo o país para esclarecer, em palestras ou por meio de artigos, questões ligadas ao agronegócio sobre sustentabilidade e direito ambiental. Ela também é diretora executiva do canal AgroMais, além de responder pela área institucional dos canais BandNews TV, AgroMais, Empreender, Terraviva, BandSports, Sabor & Arte e Arte1.


Sobre a Tecnoshow Comigo

Com a proposta de auxiliar o produtor rural, a COMIGO iniciou, em 2002, o trabalho de geração e difusão de tecnologias agropecuárias, em Rio Verde, numa área que hoje ultrapassa 170 hectares (área total do CTC). Neste local, a cooperativa promove experiências tecnológicas o ano todo, em parceria com diversas instituições de pesquisa, de ensino e outras empresas, e realiza a Tecnoshow. A diversidade é uma marca registrada do evento. São máquinas e equipamentos agropecuários, plots agrícolas, animais das mais variadas espécies, palestras técnicas e econômicas, ações socioambientais e dinâmicas de pecuária, entre outros produtos e serviços. Trata-se de uma extensa vitrine de tecnologias para o homem do campo, seja pequeno, médio ou grande produtor.


FICHA TÉCNICA

TECNOSHOW COMIGO 2023 – 20 anos

Data: 27 a 31 de março de 2023 (segunda a sexta-feira)

Local: Centro Tecnológico COMIGO (CTC) - Rio Verde – GO (Rodovia GO 174 S/N área rural de Rio Verde)

Horário: 8 às 18 horas

Entrada gratuita

Site: www.tecnoshowcomigo.com.br

Instagram: @tecnoshowcomigo

Twitter: @tecnoshowcomigo


INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

Assessoria de Comunicação da COMIGO

Weuller Freitas – (64) 3611-1522 / 99627-9897

Pedro Cabral – (64) 3611-1335 / 99264-3739

Samir Machado – (64) 3611-1647 / 99941-2288


Voltz Comunicação – Assessoria de imprensa da TECNOSHOW COMIGO

Ana Manuela Arantes – (62) 98142-6323 – anamanuela@voltzcomunicacao.com.br

Fernando Dantas – (62) 99227-2631 – fernando@voltzcomunicacao.com.br

Renan Rigo – (62) 98522-6645 – renan@voltzcomunicacao.com.br



57 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page