Foto
09 abr

Palestra da TECNOSHOW COMIGO aborda a importância do diagnóstico nutricional na cultura da soja para evitar perda na produtividade

Pesquisador da Embrapa apresentou Fast K, uma nova técnica que permite saber a concentração de potássio da planta em apenas cinco minutos

O engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa-Londrina (PR), Adilson de Oliveira Júnior, apresentou nesta terça (9/4), durante palestra na 18ª TECNOSHOW COMIGO, em Rio Verde (GO), uma nova metodologia, mais rápida e eficiente, para a realização do diagnóstico de concentração de potássio da soja: o Fast – K. A palavra fast significa rápido em inglês e K é o símbolo do elemento químico potássio na tabela periódica.

A nova técnica permite saber, no prazo de apenas cinco minutos, por meio da análise foliar da planta, se a amostragem possui deficiências nutricionais. Atualmente, o resultado da análise foliar, feita em laboratório leva em média, de quatro a seis dias. A análise foliar deve ser feita no final da fase R2 (florescimento pleno da soja), que ocorre entre 45 e 60 dias, dependendo do cultivar e da época.

A coloração amarelada nas folhas é sinal de que algo não vai bem.  O monitoramento deve ser realizado pelos produtores rurais. “O potássio, depois do nitrogênio, é o nutriente mais absorvido pela cultura da soja. E dentro dos que a gente tem que manejar, via fertilizante, ele é o nutriente com maior demanda”, explica.

Segundo ele, o teor de potássio está diretamente relacionado à qualidade da planta de soja, e a deficiência pode provocar a queda na massa, no peso dos grãos, afetando a produtividade da lavoura. Neste caso, destaca, é de suma importância que os agricultores façam o monitoramento regular do estado nutricional das plantas e realizem diagnósticos com base nas análises de solo e foliar.

“Outra forma de saber indiretamente, tendo os dados de análise de solo em mãos,  é pelo balanço da adubação se a adubação que eu tenho feito tem atendido ou não que eu tenho exportado”, pontua.

 A técnica do Fast K foi desenvolvida por Adilson e outros dois pesquisadores que levaram em conta a alta produtividade das lavouras de soja e a não reposição, de forma adequada, de nutrientes pelos produtores rurais por não calcularem o balanço de adubação  

Para fazer o diagnóstico, é utilizado um kit composto por uma balança portátil, filtro de papel, tubo graduado e equipamento de leitura. A interpretação pode ser feita em qualquer lugar. O potássio é extraído da folha com o simples uso de uma solução aquosa.

“Nossa ideia é que essa análise seja feita, num primeiro momento, pelos engenheiros agrônomos, profissionais de assistência técnica e consultores, por se tratar de uma metodologia de análise. Existe todo um critério de passo a passo a ser feito para que ela seja executada com rigor e com reprodutibilidade para que não se erre na análise. Então, temos direcionado para o corpo técnico das empresas”, comenta.

O resultado, conforme os valores de potássio apontados na amostra, possibilita a tomada de decisão mais rápida dos agricultores, no sentido de adotar medidas para corrigir o solo.

“A gente tá montando uma caixinha de ferramentas que vai ter todo o material necessário para se realizar a análise. Quem estiver rodando a feira, essa caixinha está disponível lá no stand da Embrapa”, diz. O kit será comercializado pela Embrapa. Embora o preço não tenha sido divulgado, ele diz que será cobrado apenas o custo de produção do material.

Adilson afirma que o Fast K não inviabiliza a análise foliar, que contempla outros nutrientes da planta. O diagnóstico pode ajudar a manter o teto produtivo ou identificar onde está havendo perda de produção na lavoura. Também pode ser aplicado nas propriedades onde ocorre a chamada “fome oculta” - perda de produtividade sem sintomas aparentes. Mais informações na homepage: www.embrapa.br/soja/fast-k

 

Sobre a Tecnoshow Comigo

Há 18 anos nasceu o conceito da feira de tecnologia rural, que logo passou a ser um referencial em todo o Centro-Oeste. A cada edição, a feira, hoje denominada Tecnoshow Comigo, não só apresenta experiências tecnológicas realizadas por diversas instituições de pesquisa, de ensino e outras empresas que auxiliam o produtor rural, mas reúne expositores de grandes segmentos do setor agropecuário, em uma área montada em 60 hectares com completa infraestrutura. Mais informações em www.tecnoshowcomigo.com.br.

 

FICHA TÉCNICA

18ª TECNOSHOW COMIGO

Data: 08 a 12 de abril de 2019 (segunda a sexta-feira)

Local: Centro Tecnológico COMIGO (CTC) - Rio Verde – GO (Anel Viário Paulo Campos, Km 7, Zona Rural)

Horário: 8 às 18 horas

Serviço: Geração e Difusão de Tecnologias Agropecuárias, Exposição de Máquinas e Equipamentos, Palestras, Exposição de Animais e Dinâmicas de Pecuária.

Site: www.tecnoshowcomigo.com.br | Twitter e Instagram: @tecnoshowcomigo

 

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA

Assessoria de Comunicação da COMIGO

Wêuller Freitas – (64) 3611-1522 / 99627-9897

Bruno Kamogawa – (64) 3611-1690 / 99282-2213

Samir Machado – (64) 3611-1647 / 99941-2288

 

Voltz Comunicação – Assessoria de imprensa da TECNOSHOW COMIGO

E-mail: tecnoshowcomigo@gmail.com ou imprensa@tecnoshowcomigo.com.br

Renan Rigo – (62) 98522-6645

Gabriela Louredo - (62) 99396-9342

Lucas Rafael – (62) 98209-5018

Thalita Braga – (61) 99672-8157

Fernando Dantas – (62) 99227-2631

 


Compartilhe:

Google +

Mais fotos